Buscar
  • Fraternidade Agostiniana Leiga Núcleo Nossa Senhora das Graças

A Amizade em Santo Agostinho.


Em seu livro Confissões, Santo Agostinho inova ao atribuir à verdadeira amizade um caráter que transcende ao conceito convencional. Para o Bispo de Hipona, mais do que mera consequência do apreço entre indivíduos, ela resulta da atuação do Espírito Santo, da Caridade e tem como ponto central, a amizade do homem com Deus. Quem não é amigo de Deus, não pode ser amigo do homem.


Em seu conceito filosófico , Santo Agostinho assevera que é necessário espelhar-se em Cristo e estabelecer entre almas uma relação desinteressada, gratuita e caridosa, que se sobrepõe as coisas terrenas . Não é por outro motivo, que afirma que “a amizade com este mundo, é adultério contra Deus”. Pregando assim, que o homem trai a Deus quando passa a estimar excessivamente as coisas do mundo em detrimento das coisas do Altíssimo. Ensinamento análogo é encontrado em Tiago 4, 4:


“todo aquele que quer ser amigo do mundo torna-se inimigo de Deus”.


Somente um amigo de Deus, pode ser um amigo verdadeiro e para tanto, deve cultivar em seu coração os mais sublimes valores.


“ O amigo fiel é poderoso refúgio, quem o descobriu, descobriu um tesouro.” Eclesiástico 6,14.





Tags:

Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags