Senhor, és meu refúgio


142


(141)


1 [Poema de Davi. Quando estava na caverna. Oração.]


2 Com minha voz eu clamo ao Senhor, com minha voz eu suplico ao Senhor;


3 diante dele eu derramo meu lamento, à sua frente desabafo minha angústia,


4 enquanto meu espírito desfalece. Mas tu conheces meu caminho. Na trilha por onde vou me
esconderam uma armadilha.


5 Olha à direita e vê: ninguém me reconhece. Não tenho para onde fugir, ninguém cuida de
minha vida.


6 Clamo a ti, Senhor; digo: “És meu refúgio, és a minha porção na terra dos vivos”.


7 Escuta a minha súplica: estou numa angústia extrema. Salva-me dos meus perseguidores
porque são mais fortes que eu.


8 Retira-me da prisão, para que eu celebre teu nome; os justos vão me rodear quando me
mostrares tua bondade.

S A L M O S

SOBRE NÓS

Somos Católicos Agostinianos Leigos, integrantes do  Núcleo Nossa Senhora das Graças - Rio de Janeiro - RJ -  Paróquia Nossa Senhora das Graças - Província  Nossa Senhora  da Consolação do Brasil

LOCALIZAÇÃO

Rua Capitão Rubens, 55 - Marechal Hermes  - Rio de Janeiro - RJ – Brasil

CONECTE-SE
  • Grey Instagram Icon

Instagram

Acesse também pelo

seu dispositivo móvel

© 2017 por Fraternidade Agostiniana Leiga - Núcleo Nossa Senhora das Graças - ARS