Quanto amo a tua palavra, Senhor!


119


(118)


1 Aleluia! Felizes os que procedem com retidão, os que caminham na lei do Senhor.


2 Felizes os que guardam seus testemunhos e o procuram de todo o coração.


3 Não cometem iniqüidade, andam por seus caminhos.


4 Promulgaste teus preceitos para serem observados fielmente.


5 Sejam seguros meus caminhos para eu guardar os teus estatutos.


6 Então não terei de envergonhar-me se tiver obedecido a teus preceitos.


7 Vou te louvar com um coração sincero quando aprender tuas justas normas.


8 Quero observar teus estatutos; não me abandones jamais.


9 Como é que pode um jovem levar uma vida pura? Guardando tua palavra!


10 De todo coração te procuro: não me deixes desviar dos teus preceitos.


11 Conservo no coração tuas promessas para não te ofender com o pecado.


12 Bendito és tu, Senhor; ensina-me teus estatutos.


13 Com meus lábios enumerei todos os decretos de tua boca.


14 Eu me alegro em seguir teus testemunhos, mais que em todas as riquezas.


15 Quero meditar teus mandamentos e considerar teus caminhos.

16 Nos teus estatutos me deleito; não esquecerei tua palavra.


17 Sê bondoso com teu servo; faze que eu viva e observe tua palavra.


18 Abre-me os olhos para eu contemplar as maravilhas de tua lei.


19 Sou estrangeiro sobre a terra, não escondas de mim teus mandamentos.


20 Minha alma se consome desejando teus decretos o tempo todo.


21 Ameaçaste os orgulhosos: maldito quem se desvia dos teus preceitos.


22 Afasta de mim a vergonha e o desprezo porque observei teus testemunhos.


23 Reúnem-se os poderosos, me caluniam, mas teu servo medita teus estatutos.


24 Sim, teus testemunhos são minhas delícias meus conselheiros são teus estatutos.


25 Estou prostrado no chão; dá-me vida conforme tua palavra.


26 Eu te expus meus caminhos e me respondeste; ensina-me teus estatutos.


27 Faze-me conhecer o caminho dos teus preceitos e meditarei nos teus prodígios.


28 Ando curvado pela tristeza; levanta-me conforme tua palavra.


29 Mantém longe de mim o caminho da mentira, dá-me o dom da tua lei.


30 Escolhi o caminho da verdade, ponho ante meus olhos tuas normas.


31 Aderi a teus testemunhos, Senhor, não permitas que eu seja confundido.


32 Correrei pelo caminho dos vossos mandamentos, quando dilatareis meu coração.


33 Indica-me, Senhor, o caminho dos teus estatutos e vou segui-lo até o fim.


34 Dá-me inteligência, para que observe tua lei e a guarde de todo coração.


35 Dirige-me na senda dos teus mandamentos, porque nela está minha alegria.


36 Inclina meu coração para teus testemunhos e não para a avareza.


37 Desvia meu olhar para eu não ver as vaidades, faze-me viver no teu caminho.


38 Cumpre para com teu servo a tua promessa que deste, para que te temam.


39 Afasta o insulto que me aflige pois teus decretos são bons.


40 Eis que desejo teus preceitos; pela tua justiça conserva-me a vida.


41 Senhor, venha sobre mim tua clemência, tua salvação segundo tua promessa;


42 a quem me insulta, poderei responder que tenho confiança na tua palavra


43 Jamais me tires da boca a palavra verdadeira, porque espero nas tuas normas.


44 Vou guardar tua lei para sempre, por todos os séculos.


45 Caminharei com segurança, pois procuro observar teus preceitos.


46 Até diante dos reis vou falar de teus testemunhos sem ficar envergonhado.


47 Com teus mandamentos me deleitarei: eu os amo.


48 Erguerei as mãos a teus preceitos que amo, e meditarei nos teus estatutos.


49 Lembra-te da palavra dada a teu servo, com ela me deste esperança.


50 Isto me consola na minha miséria: a tua promessa me faz viver.


51 Os soberbos me dirigem os piores insultos, mas não me desvio da tua lei.


52 Recordo tuas normas de outrora, Senhor, e com elas me consolo.


53 Fiquei cheio de ira contra os ímpios que abandonam a tua lei.


54 São cânticos para mim teus estatutos na terra em que sou peregrino.


55 Recordo teu nome no decorrer da noite, Senhor, e observo tua lei.


56 Assim me acontece porque guardei teus preceitos.


57 Eu disse: Minha porção, Senhor, é guardar tuas palavras.


58 De todo coração te supliquei: piedade de mim segundo tua promessa.


59 Examinei meus caminhos, voltei meus passos para teus testemunhos.


60 Eu me apresso, sem demora, a guardar teus mandamentos.


61 Os laços dos ímpios me envolveram, mas não esqueci tua lei.


62 No meio da noite me levanto para te louvar pelas tuas justas normas.


63 Sou amigo de todos os que te são fiéis e observo teus preceitos.


64 De tua bondade, Senhor, está cheia a terra; ensina-me teus estatutos.


65 Fizeste o bem a teu servo, Senhor, segundo tua palavra.


66 Ensina-me o bom senso e a sabedoria pois tenho confiança nos teus mandamentos.


67 Antes de ser humilhado, saí do bom caminho, mas agora guardo tua promessa.


68 Tu és bom e fazes o bem, ensina-me teus estatutos.


69 Caluniaram-me os insolentes, de todo coração guardarei teus preceitos.


70 O coração deles é insensível como a gordura, na tua lei encontro minhas delícias.


71 Foi bom para mim ser humilhado, para aprender teus estatutos.


72 Para mim vale mais a lei da tua boca que milhões em ouro e em prata.


73 Tuas mãos me fizeram e plasmaram; faze-me entender e aprenderei teus mandamentos.


74 Teus fiéis ao ver-me terão alegria porque esperei na tua palavra.


75 Senhor, sei que são justas tuas normas e com razão me humilhaste.


76 Tua bondade seja meu consolo, segundo tua promessa a teu servo.


77 Venha a mim tua misericórdia para eu reviver, e minhas delícias serão tua lei.


78 Envergonhem-se os soberbos, que sem razão me oprimem; eu meditarei nos teus preceitos.


79 Voltem a mim os que te temem e os que conhecem teus testemunhos.


80 Que meu coração seja íntegro nos teus estatutos, para eu não ficar envergonhado.


81 Eu anseio pela tua salvação, espero na tua palavra.


82 Meus olhos anseiam pela tua promessa, enquanto digo: “Quando me darás conforto?”


83 Sou como um odre exposto à fumaça, mas não esqueço teus estatutos.


84 Quantos serão os dias do teu servo? Quando farás o juízo contra meus
perseguidores?


85 Cavaram-me um fosso os insolentes que não seguem a tua lei.


86 Todos os teus mandamentos são verdade; sem razão me perseguem: socorre-me!


87 Por pouco não me expulsaram deste mundo, mas não abandonei teus preceitos.


88 Segundo teu amor faze-me viver e observarei os testemunhos da tua boca.


89 A tua palavra, Senhor, é eterna, estável como o céu.


90 Tua fidelidade dura por todas as gerações; fundaste a terra e ela está firme.


91 Tudo subsiste até hoje conforme tuas normas, pois tudo está a teu serviço.


92 Se tua lei não fosse meu prazer, já há muito teria perecido na minha miséria.


93 Jamais esquecerei teus preceitos: pois por eles me deste a vida.


94 Eu te pertenço: salva-me, porque procuro teus preceitos.


95 Os ímpios me esperam para arruinar-me eu compreendo teus testemunhos.


96 Eu vi limites em tudo o que é perfeito mas teu mandamento não tem confins.


97 Quanto amo a tua lei; passo o dia todo a meditá-la.


98 Teu preceito me faz mais sábio que meus inimigos, porque sempre me acompanha.


99 Sou mais sábio que todos os meus mestres, porque medito teus testemunhos.


100 Entendo mais que os anciãos, porque observo teus preceitos.


101 Preservei meus pés de todo mau caminho, para guardar tua palavra.


102 Não me afasto de tuas normas, porque és tu que me instruis.


103 Como são doces ao meu paladar tuas promessas: mais que o mel para minha boca.


104 Dos teus preceitos recebo inteligência, por isso odeio todo caminho falso.


105 Lâmpada para meus passos é tua palavra e luz no meu caminho.


106 Jurei, e o confirmo, guardar tuas justas normas.


107 Meu sofrimento passa dos limites, Senhor, dá-me vida segundo tua palavra.


108 Senhor, aceita as ofertas dos meus lábios, ensina-me tuas normas.


109 Minha vida está sempre em perigo mas não esqueço a tua lei.


110 Os ímpios me armaram laços, mas não me desviei de teus preceitos.


111 Minha herança para sempre são teus testemunhos, são esses a alegria do meu coração.


112 Inclinei meu coração a cumprir teus estatutos, desde agora e para sempre.


113 Detesto os corações fingidos, eu amo tua lei.


114 Tu és meu refúgio e meu escudo, espero na tua palavra.


115 Afastai-vos de mim, ó malvados, vou guardar os preceitos do meu Deus.


116 Sustenta-me segundo tua promessa e terei a vida, não permitas que minha esperança fique
frustrada.


117 Sê tu meu auxílio e serei salvo, sempre terei ante os olhos os teus estatutos.


118 Desprezas todos os que abandonam teus estatutos, porque seus pensamentos são vãos.


119 Reduzes a escória todos os ímpios da terra, por isso amo teus testemunhos.


120 Minha carne treme por medo de ti, por tuas normas eu sinto temor.


121 Pratiquei o direito e a justiça; não me abandones aos meus opressores.


122 Assegura o bem a teu servo; não me oprimam os soberbos.


123 Meus olhos anseiam por tua salvação e pela tua promessa de justiça.


124 Trata o teu servo conforme teu amor e ensina-me teus estatutos.


125 Sou teu servo, faze-me compreender e conhecerei teus testemunhos.


126 É tempo de agires, Senhor, violaram a tua lei.


127 Por isso amo teus mandamentos mais que o ouro, mais que o ouro fino.


128 Agi retamente conforme todos os teus preceitos e odeio todo caminho falso.


129 Maravilhosos são teus testemunhos, por isso lhes sou fiel.


130 A revelação das tuas palavras ilumina, dá sabedoria aos simples.


131 Abro a boca suspirando, porque desejo teus mandamentos.


132 Volta-te para mim e tem misericórdia, conforme a tua norma. para os que amam o teu
nome.


133 Firma meus passos segundo tua promessa e não deixes que me domine maldade alguma.


134 Salva-me da opressão dos homens e obedecerei a teus preceitos.


135 Mostra a teu servo um rosto radiante e ensina-me teus estatutos.


136 Meus olhos derramam rios de lágrimas, por causa dos que não guardam a tua lei.


137 Tu és justo, Senhor, e reto nas tuas normas.


138 Com justiça ordenaste teus testemunhos e com fidelidade incomparável.


139 O meu zelo me devora, porque meus inimigos esquecem tuas palavras.


140 Puríssima é a tua promessa, o teu servo a ama.


141 Sou pequeno e desprezado, mas não esqueço teus preceitos.


142 Tua justiça é justiça eterna e verdade é a tua lei.


143 Angústia e opressão caíram sobre mim; teus mandamentos são minhas delícias.


144 Teus testemunhos são eternamente justos, faze-me compreendê-los e terei a vida.


145 Eu te invoco de todo coração, Senhor, responde-me; guardarei teus estatutos.


146 Clamo a ti, salva-me, e guardarei teus testemunhos.


147 Precedo a aurora e peço socorro, espero nas tuas palavras.


148 Meus olhos antecipam as vigílias da noite para meditar na tua promessa.

149 Escuta minha voz; segundo tua bondade, Senhor. Faze-me viver segundo as tuas normas.


150 Aproximam-se os que me perseguem com malícia, afastaram-se para longe da tua lei.


151 Mas tu, Senhor, estás perto, todos os teus preceitos são verdadeiros.


152 Desde muito conheço teus testemunhos que estabeleceste para sempre.


153 Vê a minha miséria e liberta-me, porque não esqueci tua lei.


154 Defende minha causa, resgata-me, segundo tua promessa, faze-me viver.


155 A salvação está longe dos ímpios, porque não se importam com teus estatutos.


156 Tuas misericórdias são grandes, Senhor, segundo tuas normas, faze-me viver.


157 Meus perseguidores e meus inimigos são muitos, mas não abandono teus testemunhos.


158 Vi os rebeldes e senti desgosto, porque não guardam tua promessa.


159 Vê como amo teus preceitos, Senhor, conforme tua bondade dá-me vida.


160 O resumo da tua palavra é a verdade, são para sempre tuas justas normas.


161 Poderosos me perseguem sem motivo, mas meu coração só teme as tuas palavras.


162 Alegro-me com tua promessa, como quem acha grandes despojos.


163 Odeio e detesto a mentira, mas amo a tua lei.


164 Sete vezes por dia eu te louvo por causa de tuas justas normas.


165 Quem ama tua lei tem muita paz, no seu caminho não há tropeço.


166 Espero tua salvação, Senhor, e pratico teus mandamentos.


167 Observo teus testemunhos e os amo muito.


168 Observo teus preceitos e teus testemunhos; diante de ti estão todos os meus caminhos.


169 Chegue meu grito a ti, Senhor, dá-me inteligência, segundo tua palavra.


170 Chegue à tua presença a minha súplica, liberta-me segundo tua promessa.


171 Que meus lábios exprimam o teu louvor, pois me ensinas teus estatutos.


172 Minha língua cante tua promessa, porque são justos todos os teus mandamentos.


173 Venha em meu auxílio tua mão, pois escolhi teus preceitos.


174 Desejo tua salvação, Senhor, e a tua lei é meu prazer.


175 Que eu possa viver para louvar-te, e que tuas normas me auxiliem.


176 Sou errante como ovelha desgarrada: procura teu servo, porque não esqueci teus
mandamentos.

S A L M O S

SOBRE NÓS

Somos Católicos Agostinianos Leigos, integrantes do  Núcleo Nossa Senhora das Graças - Rio de Janeiro - RJ -  Paróquia Nossa Senhora das Graças - Vicariato Nossa Senhora  da Consolação do Brasil

LOCALIZAÇÃO

Rua Capitão Rubens, 55 - Marechal Hermes  - Rio de Janeiro - RJ – Brasil

CONECTE-SE
  • Grey Instagram Icon

Instagram

Acesse também pelo

seu dispositivo móvel

© 2017 por Fraternidade Agostiniana Leiga - Núcleo Nossa Senhora das Graças - ARS