Não fiques longe de mim!


35


(34)


1 [De Davi.] Senhor, julga quem me acusa, ataca os que me atacam.


2 Empunha o escudo e a couraça e corre em meu auxílio.


3 Vibra a lança e o machado contra os que me perseguem. Dize à minha alma: “Sou eu tua
salvação”.

4 Sejam confundidos e cobertos de vergonha os que ameaçam a minha vida; volte para trás e
sinta vergonha quem planeja minha ruína.


5 Sejam como a palha ante o vento, quando o anjo do Senhor os expulsar.


6 Seja escura e perigosa a sua estrada, quando o anjo do Senhor os perseguir.


7 Pois sem motivo me armaram seu laço, sem motivo cavaram-me um fosso.


8 Venha sobre eles de repente a ruína, e a rede que armaram, prenda a eles mesmos; sejam
votados à perdição.


9 Mas a minha alma se alegre no Senhor, exulte com a sua salvação.


10 Digam todos os meus ossos: “Senhor, quem é semelhante a ti, que livras do mais forte o
indefeso, o pobre e o desvalido, de quem o explora?”


11 Levantam-se testemunhas mentirosas, querem saber de mim o que não sei.


12 Pagam-me o bem com o mal, desolação para a minha alma.


13 Eu, porém, quando eles adoeciam, vestia-me de saco, mortificava-me com o jejum, e
minha súplica voltava ao meu íntimo.


14 Como por um amigo, ou por um irmão, andei chorando, como quem está de luto pela mãe,
entreguei-me à tristeza.


15 Mas agora que estou sofrendo, eles se alegram e se reúnem, reúnem-se contra mim para
ferir-me sem que eu saiba.


16 Zombam de mim sem parar, atacam-me, riem de mim, rangem os dentes contra mim.


17 Senhor, até quando ficarás olhando? livra minha alma das feras que rugem, livra dos leões
minha única vida!


18 Eu te darei graças na grande assembléia e te louvarei no meio de muita gente.


19 Não riam de mim meus inimigos injustos, nem pisquem os olhos os que me odeiam sem
razão.


20 Pois eles não falam de paz, mas contra os mais mansos da terra tramam intrigas.


21 E contra mim escancaram a boca e dizem: “Ah! Ah! vimos com nossos olhos!”


22 Viste, Senhor, não fiques mudo! Senhor, não fiques longe de mim!


23 Desperta e levanta-te para defender-me, meu Deus e Senhor, para me proteger.


24 Defende-me, Senhor, segundo a tua justiça, meu Senhor e meu Deus, não se riam de mim.


25 Que não possam dizer entre si: “Ah! Ah! é isto que queremos!” nem digam: “Nós o
devoramos”.


26 Fiquem confusos e cobertos de ignomínia os que se alegram com meus males, sejam
envoltos em confusão e opróbrio os que se erguem contra mim com soberba.

27 Exultem e se alegrem os que defendem minha justa causa, e possam dizer sempre: “Seja
louvado o Senhor, que zela pela segurança do seu servo”.


28 E a minha língua proclamará a tua justiça, e o teu louvor todo dia!

S A L M O S

SOBRE NÓS

Somos Católicos Agostinianos Leigos, integrantes do  Núcleo Nossa Senhora das Graças - Rio de Janeiro - RJ -  Paróquia Nossa Senhora das Graças - Província  Nossa Senhora  da Consolação do Brasil

LOCALIZAÇÃO

Rua Capitão Rubens, 55 - Marechal Hermes  - Rio de Janeiro - RJ – Brasil

CONECTE-SE
  • Grey Instagram Icon

Instagram

Acesse também pelo

seu dispositivo móvel

© 2017 por Fraternidade Agostiniana Leiga - Núcleo Nossa Senhora das Graças - ARS