Eu me entrego em tuas mãos


31


(30)

1 [Ao mestre do coro. Salmo de Davi.]


2 Em ti, Senhor, me refugiei, jamais eu fique desiludido; pela tua justiça salva-me!


3 Inclina para mim teu ouvido, vem depressa livrar-me. Sê para mim o rochedo que me
acolhe, refúgio seguro, para a minha salvação.


4 Pois tu és minha rocha e meu baluarte, pelo teu nome me diriges e me guias.


5 Livra-me do laço que me armaram, porque és minha força.


6 Nas tuas mãos entrego meu espírito; tu me resgatas, Senhor, Deus fiel,


7 Odeias os que seguem ídolos vãos; quanto a mim, é no Senhor que espero.


8 Possa eu alegrar-me e exultar por tua bondade, por teres olhado para minha miséria e
acudido às angústias da minha alma.


9 Não me entregaste nas mãos do inimigo, mas colocaste meus pés em lugar seguro.


10 Piedade de mim, Senhor, pois estou angustiado; definham de tristeza minha vista, o corpo
e a alma.


11 Pois minha vida se consome entre aflições e meus anos entre gemidos, decaiu pela miséria
minha força, meus ossos se consomem.


12 De meus adversários me tornei o opróbrio, alvo de zombaria para os vizinhos, de terror
para meus conhecidos: quem me vê pela rua, foge de mim.


13 Caí no esquecimento como um morto, sem vida; não sou mais que uma coisa inútil.


14 Pois ouvi, dominado pelo terror, o falar perverso de muitos; reuniram-se contra mim,
tramaram para acabar com minha vida.


15 Mas eu em ti espero, Senhor, repito: és tu o meu Deus.


16 Na tua mão está o meu destino; livra-me dos inimigos e dos que me perseguem.


17 Mostra a teu servo a tua face, salva-me na tua bondade.


18 Senhor, que eu não seja confundido depois de te invocar; confundidos sejam os ímpios, e
se calem no inferno.


19 Emudeçam as bocas mentirosas, que falam contra o justo com insolência, soberba e
desprezo.


20 Como é grande a tua bondade, que reservaste aos que te temem, que demonstras para os
que em ti buscam refúgio diante dos filhos dos homens.


21 Tu os defendes no abrigo da tua face, longe das intrigas dos homens; tu os ocultas como
numa tenda, longe das línguas maldosas.


22 Bendito seja o Senhor! Mostrou para comigo uma bondade admirável, como uma cidade
fortificada.


23 Na minha prostração eu dizia: “Fui expulso da tua presença”. Mas ouviste a voz da minha
súplica, quando clamei a ti.


24 Amai o Senhor, vós todos, seus servos devotos! O Senhor defende os seus fiéis, mas trata
com rigor os que agem com soberba.


25 Tende coragem e um coração firme, vós todos que esperais no Senhor.

S A L M O S

SOBRE NÓS

Somos Católicos Agostinianos Leigos, integrantes do  Núcleo Nossa Senhora das Graças - Rio de Janeiro - RJ -  Paróquia Nossa Senhora das Graças - Vicariato Nossa Senhora  da Consolação do Brasil

LOCALIZAÇÃO

Rua Capitão Rubens, 55 - Marechal Hermes  - Rio de Janeiro - RJ – Brasil

CONECTE-SE
  • Grey Instagram Icon

Instagram

Acesse também pelo

seu dispositivo móvel

© 2017 por Fraternidade Agostiniana Leiga - Núcleo Nossa Senhora das Graças - ARS